Especial | Luta livre

Sete coisas que você precisa saber sobre o campeão Olímpico de luta livre Rulon Gardner

O medalhista de ouro americano é a estrela do filme do Olympic Channel 'Rulon', que será lançado na sexta-feira, 2 de abril de 2021.

Andrew Binner ·

Rulon Gardner causou uma das maiores “zebras” da história da luta livre Olímpica quando conquistou o ouro nos Jogos Olímpicos de Sydney 2000.

Seu oponente na final de luta Greco-Romana na categoria 130kg foi o ‘Urso Russo’ Aleksandr Karelin, o tricampeão Olímpico que nunca perdeu uma disputa internacional durante 13 anos.

O americano se tornou uma sensação em seu país do dia para a noite após seu ‘milagre no tatame’, mas logo se viu tendo dificuldades para lidar com a fama e lutando para salvar sua carreira após um acidente que colocou sua vida em risco.

Neste novo documentário do Olympic Channel ‘Rulon’, o nativo de Wyoming fala sobre sua jornada, de sua infância humilde crescendo em uma fazenda de gado leiteiro, até conquistar o sucesso, e como sua resiliência o ajudou a superar adversidades e as várias experiências que colocaram sua vida em risco.

Hoje, Gardner aprendeu com essas experiências e construiu uma nova vida para si mesmo. Ele se casou em outubro de 2020, perdeu cerca de 22.5kg, e recentemente se mudou para St. George, Utah, onde ele espera montar um centro de treinamento de luta livre para jovens.

O filme original do Olympic Channel irá estrear digitalmente na sexta-feira, 2 de abril de 2021, no OlympicChannel.com e nos apps oficiais do Olympic Channel para celular e dispositivos para conexão em TV. Até lá, você pode conferir um pouco da incrível história de Gardner abaixo.

Rulon | Trailer

Assista agora ao trailer deste novo documentário original que mostra a extr...

1 - A difícil infância de Rulon

Rulon Gardner enfrentou dificuldades na escola por conta de um transtorno de aprendizagem.

Ele recebeu alguns apelidos pejorativos como “Dumbo”, e, mais tarde, “Fatso”, por causa de seu tamanho.

Rulon encontrou sucesso quando uma nova comunidade acreditou nele na arena de atletismo. Longe de dificultar sua vida, seu tamanho se tornou o seu super poder.

Durante o ensino médio, o nativo de Wyoming conquistou um título estadual de luta livre e ficou em segundo lugar no arremesso de peso. Logo depois ele se tornou campeão nacional colegial na luta livre de peso pesado e ingressou o time de futebol da Universidade de Nebraska.

Mas a luta livre foi o caminho que Rulon decidiu seguir e focar.

2 - O campeão cresceu em uma fazenda

Gardner passou horas trabalhando na fazenda de produção de leite de 250 acres de sua família em Wyoming.

Ele acordava antes do nascer do sol para mover fardos de feno, cortar madeira, tirar leite e limpar vacas, e atribui sua força física prematura ao rigor de seu trabalho.

Sua família também tinha importante representatividade na comunidade Mormon. Seu tataravô, Archibald Gardner, foi bispo na igreja e ajudou a construir o famoso templo de Salt Lake.

Rulon GARDNER

Estados Unidos ds América 
Wrestling Greco-Roman
Veja Mais

Número de medalhas

2 Medalhas Olímpicas

1
1

Jogos Olímpicos

2 Jogos Olímpicos

3 - Gardner não acreditava que iria conquistar o ouro Olímpico

A maioria dos campeões Olímpicos irá te dizer que acreditar em si mesmo é essencial para se tornar o melhor do mundo.

Mas Gardner certamente não é como a maioria dos atletas, e chegou à sua final Olímpica acreditando que o segundo lugar seria uma conquista satisfatória.

“Nenhuma chance no mundo,” ele disse ao Washington Post quando perguntado se achava que iria vencer Karelin. “Às vezes, coisas doidas acontecem. Eu estava lá pensando, ‘Bom, pelo menos, tenho garantido a medalha de prata’."

Mas, no fim, ele encontrou sua força interior. Apesar de lutar contra o improvável, no caso o melhor lutador de luta Greco-Romana de todos os tempos, ele decidiu tentar o ouro para silenciar os que duvidavam de seu potencial.

“Eu vou mostrar que posso para todas aquelas pessoas que me disseram que eu nunca chegaria até aqui e nesse nível. Eu provavelmente me surpreendi mais comigo mesmo do que surpreendi a eles.”

O dia em que Rulon Gardner derrotou o grande Aleksandr Karelin

Até os Jogos de Sydney em 2000, Gardner era um lutador greco-romano desconh...

4 - As quase experiências de morte de Rulon Gardner

O lutador quase perdeu a vida inúmeras vezes.

Seu primeiro grande acidente aconteceu quando ainda estava no ensino fundamental, quando sofreu uma perfuração no abdômen por uma flecha durante uma demonstração.

Em 2002, dois anos após seu triunfo Olímpico, ele se envolveu em um acidente em um snowmobile.

O americano conta no filme do Olympic Channel 'Rulon' que ele se separou do grupo com quem estava, ficou preso em um rio raso, e foi forçado a passar a noite enfrentando temperaturas abaixo de zero sem casaco ou abrigo. Ele foi resgatado na manhã seguinte, mas a hipotermia e as queimaduras provocadas pelo frio custaram a remoção de um dedo.

Gardner adora adrenalina, e mais tarde, no mesmo ano, se envolveu em um acidente com uma moto.

Seu próximo quase encontro com a morte aconteceu em 2007, quando ele sobreviveu a uma queda em uma aeronave pequena. Todos os três homens no avião nadaram por uma hora, enfrentando a água fria (a uma temperatura de 7 graus centígrados), para chegar à margem e passar a noite sem abrigo, mas não houve ameaça à vida.

Meus Grandes Momentos Olímpicos com Rulon Gardner

De fazendeiro em Wyoming até derrubar o invicto russo e conquistar o ouro o...

5 - Troca para artes marciais mistas

Atletas de luta livre têm tamanha diversidade de habilidades, que normalmente são convidados a competirem em outros esportes.

Após se aposentar de seu evento conquistando uma medalha de bronze nos Jogos de Atenas 2004, Rulon ‘o demolidor’ Gardner aceitou um convite para competir profissionalmente em lutas de artes marciais mistas (AMM).

Ele viajou mais de 9.000km ao Japão para enfrentar o medalhista Olímpico de ouro Hidehiko Yoshida.

Apesar de selar a vitória e ser bem pago como azarão, Gardner decidiu encerrar sua carreira nas AMM, já que o esporte não tinha para ele a mesma honraria que a luta livre.

Ele também recusou a oportunidade de lutar profissionalmente no ranking profissional da WWE.

“A WWE me ofereceu milhões para competir por eles mas eu recusei,” disse Gardner.

“Minha mãe disse, ‘Foi esse o menino que eu criei? É isso o que você quer ser para a juventude da América?’"

Rulon Gardner se aposentou da luta livre depois de ganhar o bronze nas Olimpíadas de Atenas 2004 (acima).

6 - Emagrecendo no programa “The Biggest Loser”

Dono de uma estrutura corporal naturalmente grande, Gardner teve dificuldades para controlar seu peso após a aposentadoria como esportista profissional.

Em 2011, ele aceitou um convite para fazer parte do reality americano ‘The Biggest Loser’, em uma tentativa de perder parte de seus 215kg.

Após perder 78.5 quilos, ele decidiu deixar o programa por razões particulares.

O peso de Rulon variou novamente desde então, mas, recentemente, ele perdeu 13kg, graças ao seu novo personal trainer e por ter cortado de sua dieta o açúcar e a comida processada.

Seu objetivo é voltar ao seu peso de lutador: 120kg.

7 - Encontrando estabilidade após falência

Um dos momentos mais difíceis do lutador Greco-Romano aconteceu em 2012, quando ele precisou declarar falência.

Vários de seus investimentos, incluindo a construção de um resort termal e a abertura de uma academia, renderam a ele uma dívida de cerca de três milhões de dólares.

Como consequência, toda a memorabilia Olímpica de Gardner e alguns de seus veículos foram a leilão.

Desde que recuperou sua estabilidade financeira, ele conseguiu resgatar a maior parte, e hoje pode mostrar suas suadas medalhas Olímpicas a seus alunos.

Com a ajuda de alguns mentores de negócios, Gardner está vivendo uma vida mais estável vendendo seguros, é um embaixador para um app de segurança no trabalho, visita escolas e locais de trabalho para dar palestras motivacionais e se mantém conectado ao seu esporte como treinador de luta livre em uma escola de ensino médio.

“Tudo o que eu posso fazer é usar as experiências da minha vida para transmitir conhecimento à nossa juventude,” Gardner diz no filme. “Eu espero que eles consigam enxergar isso. Eu fui um bom lutador, mas eu quero ser um treinador muito melhor do que fui como lutador.”

Hoje, Gardner trabalha como treinador de luta livre no ensino médio.